Diagnóstico da Diabetes


Quando a mãe do Julius contou tudo, detalhadamente, ao médico, ele disse logo algo como : “açúcar” ou “diabetes”. O Julius não percebeu o que ele disse nem sequer percebeu que se tratava de um problema sério. O médico fez um teste para medir o açúcar no sangue e o Julius teve de entregar a urina para análise. O medido colocou uma tirazinha dentro do recipiente onde estava a urina do Julius para verificar se havia acetona na urina. A barrazinha ficou toda roxa escura. Isso significava que o Julius já tinha muita acetona na urina.

A acetona


A acetona na urina é um aviso claro do corpo: Indica que houve uma grande redução de gordura no corpo e por isso foi libertada acetona. Entre outras situações, acontece quando há falta de insulina. Nesta situação o corpo não consegue ir buscar energia ao açúcar e tem que recorrer às suas reservas de gordura.



De seguida confirmou-se o diagnóstico com um teste de sangue. Só demora alguns segundos e o valor é indicado de forma exacta no aparelho de medição do açúcar no sangue. Outra análise ao sangue é o valor HbA1c que é determinado no laboratório.

HbA1C


É como uma memória (um registo) de longo prazo dos teores de glicose no sangue, pois mede a quantidade de glicose acumulada na hemoglobina (pigmentos vermelhos do sangue) nos últimos 3 meses

O diagnóstico não apresentava dúvidas: o Julius tem diabetes do tipo 1.

Mais tarde encontrei o Julius no campo de futebol. Foi aí que ele me contou a sua história. Estava muito triste e inseguro. Sabia que tinha alguma coisa, mas não sabia ao certo o quê. Decidi explicar-lhe exactamente o que é a diabetes mellitus